Há alguns “psicólogos” que enrolam e usam tarô, runas e astologia? Infelizmente sim.
Assim como quando eu vou na academia e escuto um instrutor, formado em educação física, falar coisas absurdas sobre a fisiologia e indicando anabólicos. Isto não significa que a profissão é assim de fato, mas que este “profissional” não está atuando da forma como deveria.

O problema é a generalização. Muitos psicólogos trabalham seriamente e não merecem serem intitulados de forma pejorativa por conta de uma pequena parcela de infelizes enganadores. Nada contra quem acredita em práticas espirituais, místicas e tudo mais, mas isso não isso é psicologia e jamais será.

Terapias de vidas passadas, numerologia, teste de qual animal existe em seu interior, astrologia e demais práticas afins não são psicologia. Se o seu terapeuta faz isso, você está sendo enganado e jogando um bom dinheiro no ralo. Pior que isto, você está enriquecendo um enganador, se de fato ele se intitular psicólogo.

O que acontece é que a psicologia trata de estudar a mente humana como um todo, incluindo sonhos, inconsciente, arquétipos, enfim, o ser humano como um todo. Isto acaba sendo um prato cheio para alguns entenderem de forma errada e procurar a profissão. Após se formarem, não atuam com base nas teorias, mas em crenças sem fundamento, aproveitando o título de psicólogo.

Contudo, vale lembrar que o estudo da psicologia (ou psicanálise) dos sonhos e inconsciente é feito de forma séria, científica e fundamentada. Até mesmo a religião é muito estudada, principalmente na Psicologia Analítica (Junguiana), principal vítima dos pseudo psicólogos que entendem a teoria de forma distorcida. Porém, a Psicologia Analítica estuda de forma séria as questões religiosas e do inconsciente, pois a busca pela religião tem motivos psicológicos que devem ser analisados, pois fazem parte do ser humano e a psicologia não fecha os olhos para isso. Contanto, Jung, criador da psicologia analítica, utiliza a teoria para explicar a religiosidade e não a religião para explicar a psicologia.

Sobre os pseudo-psicólogos, a boa notícia é que existe uma entidade que só está esperando a sua denúncia para por fim a essa palhaçada. É o CRP, e você pode encontrar maiores informações no site http://www.crpsp.org.br/.

Só para constar, práticas místicas ou afins acarretam na cassação da carteira de psicólogo, pois é crime de exercício ilegal da profissão, conforme o código de ética do CRP -Conselho Regional de Psicologia.